fbpx

Saiba como calcular o payback de investimento em energia solar

Segundo especialistas, consumidor tem retorno do valor investido em até 5 anos, sendo a vida útil de um sistema fotovoltaico de no mínimo 25 anos


Investir em um sistema de energia solar fotovoltaica vem se tornando uma solução mais atraente e viável para os brasileiros. Com os ganhos já conhecidos como poder usufruir de uma energia limpa e renovável, além de maior controle sobre os gastos com a energia, o consumidor também tem a vantagem de saber o quão rentável é investir em geração solar distribuída e o prazo para o retorno desse investimento, o chamado payback, cálculo que prevê quando o consumidor começará a ter retorno sobre o investimento no sistema.

O payback é o período necessário para que o custo de instalação se pague e, a partir de então, comece a “dar lucro”. Esse cálculo deve levar em consideração o investimento total realizado e a geração média mensal do sistema fotovoltaico.

A economia na conta de energia já no primeiro mês de instalação é um bom indicativo do quanto o sistema fotovoltaico é rentável. De acordo com especialistas, ele pode gerar uma economia de até 95% na conta do consumidor. E segundo análises da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o tempo de retorno de um sistema residencial de geração distribuída está estimado em até quatro anos.

Retorno rápido

O payback médio atual, de 3,5 a 5 anos, leva em conta os valores das tarifas de hoje, para uma mensuração com dados concretos. Mas a tendência é que o retorno seja ainda mais rápido, em função dos reajustes na conta de luz no mercado regulado. Sabendo que a vida útil de um sistema fotovoltaico é de 25 anos, seu retorno em investimento pode ser pago em até 5 anos.

Tarifas de energia

As tarifas de energia no Brasil são medidas em R$/kWh, e variam conforme a distribuidora que atende a região e a Bandeira Tarifária vigente no período de apuração. A partir do momento em que o consumidor gera a sua própria energia, nada altera na parcela da conta de luz que ele gera.

Além da tarifa há outra variável fundamental para o cálculo do retorno do investimento que é a inflação energética, que deixa de ser uma preocupação a partir do momento em que o consumidor gera sua própria energia. Não há mais preocupação que a tarifa energética suba, pois não vai alterar a parcela da conta de luz.

A inflação energética oscila por diversos fatores. Um deles são as dívidas dos governos com as distribuidoras, por ações artificiais que no passado tinham o objetivo de baixar a conta de luz dos consumidores e que no futuro gerou um rombo enorme nas contas das concessionárias e um efeito reverso.

Saiba como calcular o payback da energia solar

Para realizar os cálculos de energia solar, o consumidor deve analisar o local onde os equipamentos serão instalados, além de levar em conta fatores como potência, tensão, número de horas de utilização e o consumo médio. O consumidor deve entender também que os sistemas solares fotovoltaicos são instalados em módulos, cuja quantidade varia conforme o tamanho do empreendimento, que pode ser residência, comércio e indústrias de pequeno ou grande porte. Os equipamentos podem ser colocados em telhados e paredes, assim como no solo.

Para calcular o valor do payback é preciso analisar também o valor do kWh praticado em cada região. Feito isso, é preciso dividir o valor do investimento pelo produto de energia gerada e o ano pela tarifa. Por exemplo: R $25/200 kWh x 12 x 0,83 R$/kWh.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.