fbpx

Energia Solar está cada vez mais presente nos clubes de futebol

Times de todas as divisões estão instalando sistemas FV visando economia e sustentabilidade 

A aquisição de sistemas fotovoltaicos vem se tornado cada vez mais comum entre os clubes do futebol brasileiro. Além de fornecer energia de maneira sustentável, o uso da tecnologia é bem visto pelas agremiações como uma alternativa para reduzir custos e aumentar o poder de investimento.

Na primeira divisão, a popular Série A do Campeonato Brasileiro, ao menos três clubes já contam com sistemas fotovoltaicos instalados em suas estruturas, como é o caso recente do Juventude, que deu início a implementação de 240 painéis solares em suas dependências no começo do mês. 

Ao todo, serão 200 placas em operação no estádio Alfredo Jaconi e outras 40 no CT (Centro de Treinamento) da equipe. A expectativa é que o time gaúcho obtenha uma economia de R$ 15 mil por mês com a tecnologia, o equivalente a R$ 180 mil por ano.  

Em Santa Catarina, o Avaí também apostou nos benefícios da solar por meio de uma parceria com uma empresa de Florianópolis. Desde o final do ano passado, o clube repassa a eletricidade gerada pelos painéis fotovoltaicos à Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina, concessionária do Estado) e recebe o desconto na conta de luz.

O sistema foi instalado pela Prisma Energia Solar nas dependências do estádio da Ressacada e em telhados de galpões localizados nas redondezas. Ao todo, são 646 painéis com capacidade de geração de 300 mil kWh, cerca de 2 mil a mais do que o clube consumia antes de fazer a instalação da tecnologia.

Em Minas Gerais, o Atlético-MG – atual campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil – também conta com energia solar há quase dois anos em suas cinco estruturas: a Cidade do Galo; o CT; a sede administrativa no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte (MG); além dos seus clubes sociais, o Labareda e a Vila Olímpica. 

O projeto de instalação dos painéis fotovoltaicos foi realizado por meio de um acordo comercial com a empresa Solatio Energia Livre. Até maio deste ano, a economia estimada do Galo com os sistemas foi de mais de R$ 2 milhões.

Além dos clubes da primeira divisão, outras equipes de menor expressão também já enxergam a energia solar como um bom investimento. No interior de São Paulo, por exemplo, o Mirassol é uma das equipes com energia solar em seu CT. O sistema foi instalado pela Ecori Energia Solar. 

O Leão acumula desde 2020 bons resultados dentro de campo e a instalação foi apenas mais um passo rumo ao topo para além das quatro linhas do gramado. Ao todo, a diretoria do clube paulista investiu cerca de R$300 mil e a previsão de retorno do investimento está estimado em menos de quatro anos. 

Outro exemplo de equipe que vem colhendo frutos com uma boa gestão de futebol é a Portuguesa-RJ, localizada do bairro da Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro. 

Neste ano, o clube além de fazer história na Copa do Brasil – alcançando o seu melhor resultado em toda a história ao chegar até a terceira fase da competição – também inaugurou, em março, uma usina fotovoltaica em parceria com a Green Solar.

Sobre a tradicional marquise do clube foram instalados 764 painéis solares, enquanto que na sala de geração passaram a funcionar quatro inversores que juntos geram quase 400 mil kWh por ano.

A usina solar teve como principais desafios não interferir na vida social do clube e não comprometer o visual da marquise – reconhecida como um patrimônio histórico da cidade. 

Fonte: Canal Solar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.